Viagem e turismo: Petrópolis-RJ

Como vocês disseram lá na fan page do blog (clica AQUI!) que tinham interesse em posts de viagens, hoje venho contar sobre uma viagem que fiz bem rapidinha à Petrópolis, cidade vizinha daqui do Rio de Janeiro – aproximadamente 70km de distância.

Para quem não conhece, Petrópolis é a “cidade de Pedro”, criada para veraneiro da Família Real no período mais quente do ano. É uma cidade que até hoje “respira História” e cheia de coisas legais pra se ver. Ah, e os decendentes até hoje, pelo que contam, recebem impostos dos moradores da região – tipo Oi? Mas é isso aí, sustentando esse povo até hoje.

Chegando em Petrópolis alguns pontos não podem de jeito nenhum passarem despercebidos pelo roteiro turístico:

 

  • Museu Imperial: É a casa onde Dom Pedro II se hospedava com a família. O edifício já foi escola, após a saída da Família Real, mas depois virou um museu lindíssimo e cheio de sinais de como deveria ser a vida naquela época. Existem 3 atividades no Museu que, posso garantir, valem demais à pena:

Som e Luz + Um Sarau Imperial + Museu = R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (meia)

Som e Luz é, como o nome diz, um espetáculo que acontece nos jardins do museu, interagindo com a fachada. A coisa mais linda que já vi e é de chorar de emoção!

Um Sarau Imperial é a apresentação de música, poesia e teatro. É bem rapidinho, mas lindíssimo! E com aquelas vestimentas do período fica ainda mais especial.

Petrópolis-Sarau

Museu Imperial: você anda com aquelas pantufas, existem guias e é tudo muito espetacular e luxuoso. Muito muito legal!

Petrópolis-Museu-Imperial

Para maiores informações basta entrar no site do museu clicando AQUI.

  • Catedral São Pedro de Alcântara : Catedral de Petrópolis

Inicialmente a Igreja Matriz da cidade era uma construção bem menor, à frente do Palácio. Entretanto, com o tempo, o Imperador e sua família demonstraram interesse em construir algo maior e mais imponente. A partir daí deu-se início aos projetos que, por fim, deram origem à Catedral, no estilo neogótico – bastante comum na época, inspirado nas grandes catedrais francesas. Infelizmente ela só ficou pronta em 1901, ou seja, após a Proclamação da República, portanto nunca foi vista em vida pelo Imperador. Digo isso porque seus restos mortais estão lá enterrados num sarcófago de mármore lindíssimo, ao lado da Imperatriz D. Teresa Cristina, no Mausoléu Imperial.

Petrópolis-Catedral

 

  • Museu Casa de Santos Dumont

“A Encantada” é o nome da casa do Pai da Aviação. E realmente, o que tem de pequena, tem de encantadora. Desde os móveis sob medida, passando pelas famosas escadas com degraus para um único pé, até o filme que conta mais sobre a vida e produção de Santos Dumont. Funciona de terça à domingo e custa R$5,00 a inteira e R$2,50 a meia.

Petrópolis-Encantada

  • Museu de Cera de Petrópolis

O museu é relativamente novo e já é ponto turístico forte da cidade. Feito pelos mesmos artistas do Museu Madame Tussauds, as peças são importadas dos Estados Unidos e Inglaterra. O preço é bem salgado, R$24,00 inteira e R$12,00 meia, mas vale demais o investimento. Lá existem peças de celebridades nacionais e internacionais: de Santos Dumont a Einstein!

Petrópolis-Museu-Cera

 

  • Palácio Rio Negro

Em 1889, menos de três meses antes da Proclamação da República, o senhor Manoel Gomes de Carvalho, Barão do Rio Negro, comprou o terreno onde seria erguido o seu palácio de verão. Em fevereiro de 1896, o Palácio e a casa ao lado, pertencentes a um dos filhos do Barão, foram vendidos ao Estado do Rio de Janeiro para servir de residência oficial do governante. Em 1903, o Palácio foi incorporado ao Governo Federal e passou a ser residência oficial de verão dos presidentes da República. Foi amplamente usado por presidentes até a transferência da Capital para Brasília, quando foi deixado de lado. FHC chegou a utilizá-lo na década de 1990 e desde então não foi mais usado. Está aberto à visitação e é simplesmente LINDO! E a entrada é gratuita.

Petrópolis-Palácio-Rio-Negrol

  • Museu da FEB

Um museu que homenageia os militares que participaram da Segunda Guerra Mundial. Cercada de objetos recolhidos por eles, relíquias, uniformes dos diversos exércitos. Tudo muito organizado. E é notável o orgulho dos guias, filhos desses militares. Infelizmente minha câmera travou na hora e não consegui tirar fotos, vocês me perdoam? 🙁

  • Fábrica da Bohemia

Para os amantes cervejeiros (como eu) o passeio é 2x bom: uma aula de História da bebida, da empresa de cerveja mais antiga do Brasil e, de quebra, degustação hahaha O passeio é bastante interativo, tem vários programas legais para criarmos símbolos e rótulos para a marca, jogos, cartões postais… É muito legal! E dá para aprender muito sobre todo o processo de produção dos diversos tipos de cervejas produzidas pela Bohemia. O ingresso custa R$24,00 a inteira e R$12,00 a meia. E podem acreditar: é um programa super família e muito agradável. No final ainda fomos ao restaurante da Bohemia, mas isso é coisa que vai ficar pra um post só dele rsrs Para maiores informações clica AQUI para acessar o site da Fábrica.

Petrópolis-Bohemia

 

  • Palácio/SESC Quitandinha

Construído em 1941 para ser o maior cassino da América Latina, o Quitandinha é um complexo de 50mil m² formado por teatro, diversos salões e áreas de lazer, além de um hotel. Tudo com muito luxo inspirado por Hollywood nos ambientes internos e com a fachada normanda, típica das construções de Petrópolis – que foi colonizada por diversas famílias alemãs. Não consegui fotografar a fachada mas achei essa aqui, no site wikimedia.org

Sesc_Quitandinha2

Depois que os cassinos foram proibidos no Brasil, em maio de 1946, o hotel começou a passar por dificuldades para conseguir manter toda a infra-estrutura do complexo, então, na década de 1960 os quartos começaram a ser vendidos e hoje existe um condomínio lá totalmente independente, muito luxuoso e com valor bastante alto para poder arcar com os custos de manutenção. O restante do complexo foi vendido ao SESC e é aberto à visitação. O salão azul é uma atração à parte, com o teto em formato de domo circular comparável à Cúpula de São Pedro e capaz de reproduzir 14x o eco. Sensacional!

Fiz um pequeno vídeo para vocês terem noção:

 

 

Deu pra ver que a gente curtiu, né? Ah, a visita pode ser paga (com guia) e de graça. Fizemos sem guia, por isso não sei valores.

 

Por ter sido um passeio muito rápido de final de semana, foi isso que pudemos ver. Só que a cidade tem muito mais a oferecer e certamente voltaremos em breve! Para os cariocas é uma viagem obrigatória e para quem não é daqui, vale demais também. Uma cidade linda, com vida noturna, excelentes restaurantes, comida típica alemã… Tudo para um passeio romântico, viagem entre amigos ou em família.

E para quem gosta também existem cachoeiras e passeios ecológicos!

 

Quem conhece Petrópolis? Gostaram?

Beijinho!

logo mag