Amor não é o suficiente

Amor não sustenta nenhum relacionamento. O que claramente mantém 2 pessoas juntas é a cumplicidade, o carinho, o respeito e a admiração. E isso você pode ter por pessoas com as quais se relaciona sem estar romanticamente envolvido. Porque quando quaisquer um desses elementos falta, acabamos percebendo que o que havia já não era mais amor. O amor, sozinho, não é capaz de nada.

Vocês podem estar se perguntando por que escolhi começar o texto assim, especialmente sabendo que em poucos dias o Dia dos Namorados vai chegar e tá todo mundo por aí escrevendo e pesquisando quais melhores presentes, quais opções criativas e não tão caras e etc. O fato é que o Dia dos Namorados é uma data tão comercial que pra mim não significa grande coisa. O que esse dia realmente tem de importante é que ele pode nos ajudar a repensar nossos relacionamentos, seja para melhorar ou até mesmo perceber que ele não mais corresponde às nossas expectativas.

Amor é lindo, realmente. Dizem que ele move o mundo. Eu discordo completamente, penso que o sexo e a raiva movem, infelizmente. Só que o amor é aquela semente que nos faz acreditar que as coisas terão jeito, que tudo é possível. Amor é importante!

Posso estar parecendo pessimista. Se você acha, por favor, tente compreender e pensar de maneira diferente. Desejo todo amor do mundo e relacionamentos maravilhosos para todos nós! Só gostaria de deixar uma pergunta muito pertinente: Você tem cuidado do seu amor ou está deixando as coisas acontecerem? O que espera para esse Dia dos Namorados?

logo mag

Quando é hora de seguir em frente: depressão

Todo mundo sabe que estou há muito e muito tempo sem postar no blog. Quem me acompanha sabe que tive um problema sério de saúde no meio do ano passado, que acabou resultando numa cirurgia na coluna em novembro. Mas não é sobre isso exatamente o que quero falar com vocês hoje; o que preciso compartilhar é que não “abandonei” simplesmente o blog, entrei em depressão. E é sobre esse assunto, tão sério, que venho papear com vocês.

Entre o primeiro sinal de perda de movimentos (perdi em parte da perna e pé esquerdo), dor lascinante e a cirurgia, foram 4 meses. 4 meses trancada dentro de casa à base de remédios, de inúmeros cuidados e sem conseguir ver um filme ou série, ler livros ou praticar qualquer atividade que requeresse um pouco de atenção. Os remédios eram para bloquear parte dos neurônios e, com isso, reduzir as dores. Por essa razão, como um dos efeitos colaterais, eu ficava bem letárgica, sem nenhuma atenção, foco e, por fim, muito triste. Tinha vergonha do que estava passando e acabei me afastando de amigos também.

Até o período da cirurgia efetivamente, sempre que pude produzi o máximo de material possível. Fiz vídeos, escrevi, fiz resenhas e o que meu corpo ainda permitia. Deu para levar por um tempo e, agendando, consegui suprir bem os meses até novembro, quando operei. A essa altura já estava diagnosticada com depressão, pois passava grande parte dos meus dias sem conseguir fazer nada e não conseguia compartilhar o que se passava comigo. Com exceção da minha família, as pessoas mais próximas, e meu namorado Gustavo, praticamente ninguém tinha noção de nada. E ainda teve engraçadinho me chamando de antissocial, antipática… Tudo bem, ninguém é obrigado a adivinhar, né? E mesmo os que sabiam, não tinham noção realmente do que estava ocorrendo comigo. A verdade é que 90% de quem eu conheço só ficou sabendo o que aconteceria (a cirurgia) poucos dias antes. E muitos outros apenas depois (o que inclui vocês, meus leitores).

Para mim a depressão veio com tudo: perdi o ânimo, a vontade de viver e o interesse pelas coisas, das mais simples às maiores. Meus sonhos, que eram muitos, sumiram. Viver já não era prioridade, apenas sobreviver. Entendem a diferença?

depressão oms

Depressão mata e atinge aproximadamente 1 a cada 5 pessoas no mundo. Só que, diferente do que a maioria pensa, não são os fatores externos que desencadeiam o quadro depressivo. A pessoa precisa já ter uma predisposição (genética, química, sei lá) para que o que poderia ser uma tristeza se transforme num transtorno real, numa doença tão grave que leva pessoas geniais e incríveis ao suicídio. Questões como a baixa auto-estima, ansiedade, stress, compulsões e medo podem ser indícios de que algo não está bem e a busca de auxílio profissional, seja através de psicólogos e/ou psiquiatras é essencial. E não me venha com papo de que psiquiatra é pra maluco porque todos temos nossas loucuras e todos buscam, no fundo, a mesma coisa: paz interior e felicidade.

Alguns dos sinais de depressão bastante comuns são (Fonte: Minha Vida):

  • Humor depressivo ou irritabilidade, ansiedade e angústia
  • Desânimo, cansaço fácil, necessidade de maior esforço para fazer as coisas
  • Diminuição ou incapacidade de sentir alegria e prazer em atividades anteriormente consideradas agradáveis
  • Desinteresse, falta de motivação e apatia
  • Falta de vontade e indecisão
  • Sentimentos de medo, insegurança, desesperança, desespero, desamparo e vazio
  • Pessimismo, idéias frequentes e desproporcionais de culpa, baixa autoestima, sensação de falta de sentido na vida, inutilidade, ruína, fracasso, doença ou morte
  • Desejo de morrer ou mesmo planejar o suicídio
  • Interpretação distorcida e negativa da realidade
  • Dificuldade de concentração, raciocínio mais lento e esquecimento
  • Diminuição do desempenho sexual e da libido
  • Perda ou aumento do apetite e do peso
  • Insônia ou dificuldade para dormir, acordar muito mais cedo do que seria comum ou o inverso: excesso de sono
  • Dores e outros sintomas físicos sem motivo aparente.

 

image

 

Se você leu até aqui, primeiramente, muito obrigada. Obrigada porque tenho certeza que não ficará mais indiferente quando perceber que pessoas do seu meio podem estar doentes e talvez nem saibam. E também porque tenho esperança que, de alguma maneira, isso possa ajudar a reduzir o preconceito contra essa doença. Ah! E isso não tem nada a ver com falta de Deus não, hein!!!! Porque o que não falta é gente que joga culpa na (falta de) religião alheia para justificar uma doença que simplesmente não podemos controlar.

Meu caso? Pensei em suicídio, engordei ABSURDAMENTE, tenho variações entre insônia e um sono enorme, às vezes não quero sair da cama e AINDA não consegui voltar a me interessar por (praticamente) nada. Mas estou tentando e esse foi meu primeiro passo. Por isso peço paciência, pois a anuidade 2016-2017 está paga e a idéia é continuar com esse blog em funcionamento! É uma fase. Longa, mas uma fase que vai passar.

Estou com várias idéias de novidades pra gente! O ânimo vai vir, com certeza e em breve.

Beijinho carinhoso!

logo mag

 

Feliz Dia Internacional da Mulher!

Parabéns a nós, mulheres maravilhosas que sabem o peso que se é ser mulher numa sociedade machista e patriarcal, que nos sexualiza e nos submete às maiores humilhações porque aparentemente ser mulher é ser inferior.
Nós, guerreiras, profissionais qualificadas e competentes que muitas vezes precisamos fazer jornadas duplas ou triplas de trabalho, pois os homens aparentemente se cansam mais nos seus trabalhos, coitados! E ainda hoje ganham em média 30% a mais que nós, exercendo a mesma função, sob as mesmas responsabilidades e com gastos muito menores de vestimentas e cosméticos, que para nós, mulheres, são de uso obrigatório! Porque se não nos mantivermos trabalhando bem & bonitas, somos desleixadas. E ainda vivemos sob constante pressão sobre como deve ser nosso comportamento, nossa estética, nossa vaidade, o que impacta diretamente na autoestima feminina.
Nós que não temos o direito sobre nossos corpos, que no Brasil temos nossos úteros como instrumento do Estado e que lutamos tanto para termos o direito de amamentar nossos filhos publicamente, pois é ultrajante que se dê amor e alimento aos filhos, já que os nossos seios também não são nossos, mas instrumentos sexuais masculinos.
Nós, mulheres, que já somos o esteio financeiro familiar de quase metade das famílias no país e não temos direitos iguais, que somos obrigadas a ver políticos desejando a redução dos nossos direitos trabalhistas porque engravidamos¹ (como se apenas adultos formassem uma sociedade e se devêssemos ser penalizadas por termos úteros e desejarmos nossa independência) e outros que dizem ser necessário perguntar os motivos que levaram um homem a agredir sua esposa ou ainda aqueles que consideram ainda hoje “briga de marido e mulher”², considerando um mau menor a violência contra a mulher ou, quem sabe até, o feminicídio.

Bolsomito
Nós somos mais fortes, mais empoderadas que ontem e queremos mais! Merecemos igualdades de direitos, de salários, sermos tratadas com normalidade e não “devoradas” com os olhos e tratadas como pedaços de carnes para cortes quando simplesmente andamos pelas ruas.
Devemos educar nossas meninas, filhas, parentes e amigas a exigirmos respeito e nossos homens, meninos, idosos a respeitarem. Chega de ensinar as mulheres a “se protegerem” e se curvarem aos homens, supostos animais predadores que não conseguem raciocinar com a cabeça de cima!

 

feminismo mulheres
Que esse ano de 2016 seja mais um ano de luta, de renovação e adoção de mais e mais práticas feministas e que outros tantos homens e mulheres conheçam essa ferramenta de conhecimento, dignidade, empoderamento e melhoria das sociedades.
Que menos crianças sejam forçadas a se casarem com homens mais velhos, que menos bebês do sexo feminino sejam abortados porque as famílias não são capazes de pagar seus “dotes”, que se torna um fardo, que falemos abertamente sobre o direito à liberdade sexual feminina, que ponhamos fim ao filtro que separa as mulheres ” para casar” e as “para sair”.

Notícia: Brasil é o 4º país no mundo em número de casamentos infantis.

Por propagandas que não tratem nossos corpos como objeto masculino, nossos anseios com respeito e nossas vidas com dignidade, pois cansa sermos consideradas uma minoria, visto que somos a maioria da população e é de dentro de nós que nascem futuros cidadãos, engrenagem para funcionamento do país e do mundo.

Para que NUNCA esqueçamos aquelas mulheres que batalharam e morreram para que nós tenhamos os direitos e o início da igualdade entre os sexos. Porque cada uma dessas mulheres é como nossa família, pois família que se sacrifica em nome dos seus.

 

mulheres

 

Não quero flores, chocolates, produtos de decoração para o lar (a não ser que eu SAIBA que você também apóia a causa). Quero ser tratada com a devida dignidade TODOS OS DIAS DO ANO, não quero ter medo diariamente de ser estuprada, não quero ter que pensar várias vezes em qual roupa escolher porque posso chamar uma atenção que não me interessa – e no fundo SEI QUE VOU, independente da vestimenta.
Quero tudo e mais um pouco do que me é de direito!!!

Parabéns a nós, mulheres!

¹Deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) declarou que a igualdade de salários não é justa: “Quando ela voltar [da licença maternidade], vai ter mais um mês de férias, ou seja, trabalhou cinco meses em um ano”. Veja matéria na íntegra clicando aqui.

²Governador Pezão e Prefeito Eduardo Paes. Vejam a matéria completa aqui contando o episódio dos espancamentos.

Meus aplicativos favoritos – iOS e Android

Oi, meu povo! Como uma boa viciada em Smatphone e internet, hoje venho contar um pouco sobre os aplicativos que mais uso e que mudaram e simplificaram MUITO a minha vida! Pega o seu smartphone (iOS ou Android) e segue as dicas!

 

Facebook, Instagram e WhatsApp: Esses são os mais básicos que a maioria da população tem, né? Por saber que (quase) todo mundo usa, resolvi comentar junto. As redes sociais tomaram conta da vida de todo mundo e facilitam demais a comunicação entre as pessoas. E nada melhor do que os aplicativos para facilitarem o acesso, né? O problema é quando o vício é maior e a gente esquece quem está por perto para dar atenção para quem está longe! Quem nunca? rs

1 Aplicativos- fb-insta-whatsapp

 

Photo Grid: Para quem gosta de fazer montagens ele é uma excelente opção. São várias opções de layouts, você pode inserir textos e editar as fotos. Também tem opções de molduras, filtros e etc. Bem útil para nós blogueiras e para quem quer simplificar numa foto só aqueles vários momentos! E como há interação entre aplicativos, você pode compartilhar direto para as redes sociais ou salvar a foto gerada no seu smartphone.

2 Aplicativos - photo grid

 

 

Pinterest: Um banco de dados infinito de fotografias que você pode guardar e catalogar como quiser! Adoro criar pastas com referências de trabalhos, meu portfólio e inspirações de arquitetura (sou arquiteta, né!), decoração, maquiagem, penteados, tatuagens e o que mais der vontade.

4 Aplicativos - Pinterest

 

iFood: Sério, gente! Quem inventou isso merece um beijo! Não ter mais aquela dor de cabeça de ligar para restaurantes, solicitar cardápio, escolher e pagar é muito bom! Existe a opção entre pagamento no cartão ou em dinheiro, chega tudo direitinho e todo mundo fica feliz! Ah! E ele indica as faixas de valores de cada restaurante, tempo estimado de entrega e as promoções do dia!

3 Aplicativos - iFood

 

Spotify: Desde que conheci esse aplicativo meu conhecimento de música aumentou demais e conheci artistas incríveis! O Spotify nada mais é do que uma biblioteca GIGANTE de música, que pode ser selecionada por tema (música para relaxar, trabalhar etc.), artista, disco… Enfim, super super completo e viciante!

5 Aplicativos - Spotify0

 

Shazam: Esse conheci há pouquíssimo tempo e já virou meu melhor amigo! Sabe aquela música que você adora e simplesmente não conhece o nome? Ou quando está em alguma lugar, toca uma música ótima e você quer saber de quem é? Então, esse aplicativo te responde! Basta ligá-lo enquanto a música toca que ele reconhece a música, artista e álbum pra você! Sensacional!

6 Aplicativos - Shazam 0

 

VideoDownloader: Uma coisa que eu adoro fazer com amigos é compartilhar vídeos engraçados no WhatsApp. Acho que todo mundo, né? Pois então, esse aplicativo baixa para você do Facebook os vídeos e você pode enviar para quem quiser! É ou não é muito bom?

7 Aplicativos - videodownloader

 

É lógico que uso ainda outros aplicativos mais específicos como para beber mais água, controlar a ingestão de calorias, de gastos, aprender outras línguas, etc. Mas esses que mostrei para vocês são os aplicativos que considero essenciais para minha existência! hahaha

Quais são os favoritos de vocês? Beijinho!

 

Como anda sua auto-estima? Parte 2

Muitos e muitos meses se passaram desde que escrevi o 1º post “Como anda sua auto-estima?” e parece que nem tanta coisa mudou. Por isso hoje vim escrever mais uma vez, já que sou brasileira e não desisto nunca! \o/

Pois bem, meus amores, quem me acompanha principalmente na fan page do blog (clica aqui para abrir outra aba!) sabe há quantos meses não tenho postado com regularidade. Isso se deve a uma série de problemas pessoais pelos quais estou passando e, por isso mesmo, peço mil desculpas. Coisas de família, saúde, relacionamento, emprego, enfim. O bicho pegou pro meu lado e, como não consigo escrever sem a mente leve, não rolou!

Nessa brincadeira engordei quase tudo o que havia perdido, acreditam? De 12kg perdidos, ganhei 9kg! Uó! Quando fico pra baixo é assim mesmo: desconto tudo na comida. E morro de inveja daquelas pessoas que perdem a fome, porque a minha aumenta exponencialmente! hahaha Mas por que resolvi escrever sobre auto-estima mais uma vez? Porque, por incrível que pareça, mesmo tendo engordado um bocadão, tenho me sentido bonita. Não tanto quanto antes, mas ainda assim, bonita. Para pessoas com dismorfia corporal como eu (lembram que escrevi sobre isso AQUI?) isso é um passo enooooorme! É evidente que inúmeros fatores externos influenciaram nisso, o que inclui o meu #boymagia que me trata feito uma princesa Disney, no entanto é interessante contar que não adianta ouvirmos milhares de elogios se nós não absorvemos nenhuma daquelas informações! E eu resolvi ouvir 🙂

Por mais que pareça bobo de ler para algumas pessoas, tentar se colocar sempre pra cima é um exercício diário. Nós mulheres somos bombardeadas diariamente com um conceito de beleza surral em que corpos extremamente magros, musculosos e siliconados se tornaram padrão. Quem não se enquadra nisso não presta. Os cabelos, de preferência, lisos. Ou com aqueles cachos modelados por aparelhos. Só nesses pontos já estou completamente fora do conceito de beleza, mas então aproveito para dizer: e daí? Se estou bem comigo mesma é o que importa!

ArInUbYViHvRuL3cbKqz8ePNMRqmk8BE3PxKjqHSL7l1

 

Nos últimos meses eu engordei, fiquei desempregada e sem dinheiro, adoeci e ainda estou me recuperando. Vou ficar chorando as pitangas por aí? NÃO! Então por que diabos estou contando aqui para vocês? Apenas para lembrar a você que está do outro lado lendo que todo mundo tem problemas, todo mundo tem mágoas e frustrações, mas que NADA pode ser forte o suficiente para te derrubar. Quando a dúvida sobre nossas capacidades e competências, nossa beleza ou o que mais for vier, sorria e ignore 🙂 É isso que tenho feito e, por incrível que pareça, tem funcionado.

Tô gordinha porque vivi, porque comi todas as guloseimas que eu quis. E bebi todas as cervejas que me deram na telha. Tenho me maquiado infinitamente menos porque não tenho saído quase, mas nem por isso tenho me sentido pior. Ah! Minha psoríase também piorou muito, as manchas tomaram todo o corpo. E o que eu faço com isso? Saio de saia curta, shorts, faço tudo exatamente do mesmo jeito. Diva e puro poder! Sou eu quem pago as minhas contas e o preconceito está nos olhos de quem vê!

Perdoem se o texto saiu um pouco confuso, viu? É uma mistura de desabafo com dar satisfação pelo sumiço e, acima de tudo, é um agradecimento por todos os comentários, por todas as pessoas que continuam me acompanhando por aqui, nas duas fan pages (blog e maquiadora), quem mandou e-mails ou quaisquer mensagens. Vocês são foda! \o/ (palavrão pode? hahaha)

Beijo carinhoso!

 

Camilla Gillo – a Mag!