ASPA Spray-on

Conheci no EBSA desse ano a novidade da ASPA Cosméticos e tinha que compartilhar com vocês! São as linhas de esmaltes em spray, a Spray-On e a Mais Cor, meu amor.

Ao todo são 9 cores, todas muito fáceis e rápidos de aplicar. Para quem não tem muita paciência ou está com pressa, é uma ótima pedida. As grandes vantagens são o tempo e que ele é removido com água, mas como nem tudo são flores, o preço é bem salgadinho – varia de R$25,00 a R$30,00 cada cor e contém 55ml, e a durabilidade não é a mesma dos esmaltes comuns. Durou uns 3 dias.

Como eu não costumo usar muitas vezes a mesma cor, achei meio puxado e não sei se compraria, mas para quem curte, pode valer a pena sim. Você encontra com facilidade em farmácias, perfumarias ou no site da ASPA clicando aqui.

Cores disponíveis Spray-on:
butterfly
emotion
inspiration
mediterrâneo
luau
organic
stardust

Cores disponíveis Mais Cor meu amor:
casa comigo
encanto
jeans
mozinho
sonho de valsa

Fiz um vídeo bem rapidinho como se aplica o esmalte em spray. Clica aqui!

 

Aspa spray passo a passo

Espero que tenham gostado. Alguém aí já usou algum esmalte em spray?

logo mag

Se curtiu compartilhe!
Facebook Twitter Email

Dica de filme: Histórias Cruzadas (The Help)

Hoje venho dar a dica de um filme que todo mundo deveria assistir: Histórias Cruzadas (The Help).

Baseado no livro de mesmo nome de Kathryn Stockett, conta a história da vida de empegadas domésticas afro-americanas na cidade de Jackson, no Mississipi, nos anos 1960, auge dos movimentos por igualdade racial e direitos civis nos Estados Unidos. Na história Skeeter (Emma Stone), uma mulher branca fora dos padrões para a época (preparada para casar e ser dona de casa) quer ser jornalista e escrever um livro mostrando como é a realidade das mulheres negras em pleno período da Segregação Racial institucionalizada: sem direitos trabalhistas, sob constantes humilhações e sem quaisquer direitos que as resguardassem. O termo “Separados mas iguais” que vigorava no período é amplamente abordado na história, mostrando repetidamente como “pessoas de cor” eram tratadas, como por exemplo a proibição do uso do banheiro pelas empregadas.

O filme não é novo, foi produzido em 2011 sob a direção de Tate Taylor e conta com muita delicadeza especialmente a vida das empregadas Aibileen (Viola Davis) e Minny (Octavia Spencer), que resolvem se unir à Skeeter para contarem o que passam de bom e ruim. Há referências também ao Ku Klux Klan (KKK), um grupo de extrema-direita que pregava a supremacia branca e o protestantismo e usava da violência contra negros na década de 1960 no sul dos Estados Unidos.

Se você gosta de filmes com temática histórica e de se emocionar, assista! E leve lenço porque é para chorar! Além de divertido, inteligente e interessante, Vidas Cruzadas serve para nos lembrar o que não pode acontecer novamente.

Fiquem aqui com o trailer:

 

Espero que gostem!

logo mag

Se curtiu compartilhe!
Facebook Twitter Email

Quando é hora de seguir em frente: depressão

Todo mundo sabe que estou há muito e muito tempo sem postar no blog. Quem me acompanha sabe que tive um problema sério de saúde no meio do ano passado, que acabou resultando numa cirurgia na coluna em novembro. Mas não é sobre isso exatamente o que quero falar com vocês hoje; o que preciso compartilhar é que não “abandonei” simplesmente o blog, entrei em depressão. E é sobre esse assunto, tão sério, que venho papear com vocês.

Entre o primeiro sinal de perda de movimentos (perdi em parte da perna e pé esquerdo), dor lascinante e a cirurgia, foram 4 meses. 4 meses trancada dentro de casa à base de remédios, de inúmeros cuidados e sem conseguir ver um filme ou série, ler livros ou praticar qualquer atividade que requeresse um pouco de atenção. Os remédios eram para bloquear parte dos neurônios e, com isso, reduzir as dores. Por essa razão, como um dos efeitos colaterais, eu ficava bem letárgica, sem nenhuma atenção, foco e, por fim, muito triste. Tinha vergonha do que estava passando e acabei me afastando de amigos também.

Até o período da cirurgia efetivamente, sempre que pude produzi o máximo de material possível. Fiz vídeos, escrevi, fiz resenhas e o que meu corpo ainda permitia. Deu para levar por um tempo e, agendando, consegui suprir bem os meses até novembro, quando operei. A essa altura já estava diagnosticada com depressão, pois passava grande parte dos meus dias sem conseguir fazer nada e não conseguia compartilhar o que se passava comigo. Com exceção da minha família, as pessoas mais próximas, e meu namorado Gustavo, praticamente ninguém tinha noção de nada. E ainda teve engraçadinho me chamando de antissocial, antipática… Tudo bem, ninguém é obrigado a adivinhar, né? E mesmo os que sabiam, não tinham noção realmente do que estava ocorrendo comigo. A verdade é que 90% de quem eu conheço só ficou sabendo o que aconteceria (a cirurgia) poucos dias antes. E muitos outros apenas depois (o que inclui vocês, meus leitores).

Para mim a depressão veio com tudo: perdi o ânimo, a vontade de viver e o interesse pelas coisas, das mais simples às maiores. Meus sonhos, que eram muitos, sumiram. Viver já não era prioridade, apenas sobreviver. Entendem a diferença?

depressão oms

Depressão mata e atinge aproximadamente 1 a cada 5 pessoas no mundo. Só que, diferente do que a maioria pensa, não são os fatores externos que desencadeiam o quadro depressivo. A pessoa precisa já ter uma predisposição (genética, química, sei lá) para que o que poderia ser uma tristeza se transforme num transtorno real, numa doença tão grave que leva pessoas geniais e incríveis ao suicídio. Questões como a baixa auto-estima, ansiedade, stress, compulsões e medo podem ser indícios de que algo não está bem e a busca de auxílio profissional, seja através de psicólogos e/ou psiquiatras é essencial. E não me venha com papo de que psiquiatra é pra maluco porque todos temos nossas loucuras e todos buscam, no fundo, a mesma coisa: paz interior e felicidade.

Alguns dos sinais de depressão bastante comuns são (Fonte: Minha Vida):

  • Humor depressivo ou irritabilidade, ansiedade e angústia
  • Desânimo, cansaço fácil, necessidade de maior esforço para fazer as coisas
  • Diminuição ou incapacidade de sentir alegria e prazer em atividades anteriormente consideradas agradáveis
  • Desinteresse, falta de motivação e apatia
  • Falta de vontade e indecisão
  • Sentimentos de medo, insegurança, desesperança, desespero, desamparo e vazio
  • Pessimismo, idéias frequentes e desproporcionais de culpa, baixa autoestima, sensação de falta de sentido na vida, inutilidade, ruína, fracasso, doença ou morte
  • Desejo de morrer ou mesmo planejar o suicídio
  • Interpretação distorcida e negativa da realidade
  • Dificuldade de concentração, raciocínio mais lento e esquecimento
  • Diminuição do desempenho sexual e da libido
  • Perda ou aumento do apetite e do peso
  • Insônia ou dificuldade para dormir, acordar muito mais cedo do que seria comum ou o inverso: excesso de sono
  • Dores e outros sintomas físicos sem motivo aparente.

 

image

 

Se você leu até aqui, primeiramente, muito obrigada. Obrigada porque tenho certeza que não ficará mais indiferente quando perceber que pessoas do seu meio podem estar doentes e talvez nem saibam. E também porque tenho esperança que, de alguma maneira, isso possa ajudar a reduzir o preconceito contra essa doença. Ah! E isso não tem nada a ver com falta de Deus não, hein!!!! Porque o que não falta é gente que joga culpa na (falta de) religião alheia para justificar uma doença que simplesmente não podemos controlar.

Meu caso? Pensei em suicídio, engordei ABSURDAMENTE, tenho variações entre insônia e um sono enorme, às vezes não quero sair da cama e AINDA não consegui voltar a me interessar por (praticamente) nada. Mas estou tentando e esse foi meu primeiro passo. Por isso peço paciência, pois a anuidade 2016-2017 está paga e a idéia é continuar com esse blog em funcionamento! É uma fase. Longa, mas uma fase que vai passar.

Estou com várias idéias de novidades pra gente! O ânimo vai vir, com certeza e em breve.

Beijinho carinhoso!

logo mag

 

Se curtiu compartilhe!
Facebook Twitter Email

Feliz Dia Internacional da Mulher!

Parabéns a nós, mulheres maravilhosas que sabem o peso que se é ser mulher numa sociedade machista e patriarcal, que nos sexualiza e nos submete às maiores humilhações porque aparentemente ser mulher é ser inferior.
Nós, guerreiras, profissionais qualificadas e competentes que muitas vezes precisamos fazer jornadas duplas ou triplas de trabalho, pois os homens aparentemente se cansam mais nos seus trabalhos, coitados! E ainda hoje ganham em média 30% a mais que nós, exercendo a mesma função, sob as mesmas responsabilidades e com gastos muito menores de vestimentas e cosméticos, que para nós, mulheres, são de uso obrigatório! Porque se não nos mantivermos trabalhando bem & bonitas, somos desleixadas. E ainda vivemos sob constante pressão sobre como deve ser nosso comportamento, nossa estética, nossa vaidade, o que impacta diretamente na autoestima feminina.
Nós que não temos o direito sobre nossos corpos, que no Brasil temos nossos úteros como instrumento do Estado e que lutamos tanto para termos o direito de amamentar nossos filhos publicamente, pois é ultrajante que se dê amor e alimento aos filhos, já que os nossos seios também não são nossos, mas instrumentos sexuais masculinos.
Nós, mulheres, que já somos o esteio financeiro familiar de quase metade das famílias no país e não temos direitos iguais, que somos obrigadas a ver políticos desejando a redução dos nossos direitos trabalhistas porque engravidamos¹ (como se apenas adultos formassem uma sociedade e se devêssemos ser penalizadas por termos úteros e desejarmos nossa independência) e outros que dizem ser necessário perguntar os motivos que levaram um homem a agredir sua esposa ou ainda aqueles que consideram ainda hoje “briga de marido e mulher”², considerando um mau menor a violência contra a mulher ou, quem sabe até, o feminicídio.

Bolsomito
Nós somos mais fortes, mais empoderadas que ontem e queremos mais! Merecemos igualdades de direitos, de salários, sermos tratadas com normalidade e não “devoradas” com os olhos e tratadas como pedaços de carnes para cortes quando simplesmente andamos pelas ruas.
Devemos educar nossas meninas, filhas, parentes e amigas a exigirmos respeito e nossos homens, meninos, idosos a respeitarem. Chega de ensinar as mulheres a “se protegerem” e se curvarem aos homens, supostos animais predadores que não conseguem raciocinar com a cabeça de cima!

 

feminismo mulheres
Que esse ano de 2016 seja mais um ano de luta, de renovação e adoção de mais e mais práticas feministas e que outros tantos homens e mulheres conheçam essa ferramenta de conhecimento, dignidade, empoderamento e melhoria das sociedades.
Que menos crianças sejam forçadas a se casarem com homens mais velhos, que menos bebês do sexo feminino sejam abortados porque as famílias não são capazes de pagar seus “dotes”, que se torna um fardo, que falemos abertamente sobre o direito à liberdade sexual feminina, que ponhamos fim ao filtro que separa as mulheres ” para casar” e as “para sair”.

Notícia: Brasil é o 4º país no mundo em número de casamentos infantis.

Por propagandas que não tratem nossos corpos como objeto masculino, nossos anseios com respeito e nossas vidas com dignidade, pois cansa sermos consideradas uma minoria, visto que somos a maioria da população e é de dentro de nós que nascem futuros cidadãos, engrenagem para funcionamento do país e do mundo.

Para que NUNCA esqueçamos aquelas mulheres que batalharam e morreram para que nós tenhamos os direitos e o início da igualdade entre os sexos. Porque cada uma dessas mulheres é como nossa família, pois família que se sacrifica em nome dos seus.

 

mulheres

 

Não quero flores, chocolates, produtos de decoração para o lar (a não ser que eu SAIBA que você também apóia a causa). Quero ser tratada com a devida dignidade TODOS OS DIAS DO ANO, não quero ter medo diariamente de ser estuprada, não quero ter que pensar várias vezes em qual roupa escolher porque posso chamar uma atenção que não me interessa – e no fundo SEI QUE VOU, independente da vestimenta.
Quero tudo e mais um pouco do que me é de direito!!!

Parabéns a nós, mulheres!

¹Deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) declarou que a igualdade de salários não é justa: “Quando ela voltar [da licença maternidade], vai ter mais um mês de férias, ou seja, trabalhou cinco meses em um ano”. Veja matéria na íntegra clicando aqui.

²Governador Pezão e Prefeito Eduardo Paes. Vejam a matéria completa aqui contando o episódio dos espancamentos.

Se curtiu compartilhe!
Facebook Twitter Email

Tag: 50 fatos sobre mim

Se tem uma coisa que eu adoro responder é tag, né, meu povo! hahaha Acho que todo mundo já percebeu. Ainda mais quando tenho oportunidade de fazer em vídeo, é mais legal ainda! Por isso não me aguentei e subi logo pro YouTube a nova tag 50 fatos sobre mim (que ficou com um tiquinho mais do que 50, mesmo cortando!!!) pra vocês se divertirem comigo!!!

Aperta o PLAY!

 

Espero que vocês gostem e se divirtam tanto quanto eu adorei ter feito!!! Será que assustaram com alguma coisa que eu falei? hahaha #medo É muito fato, gente!

E quem quiser participar também, responda à tag e me avisa para eu assistir, pois vou amar! Adoro que saibam de mim, acho isso importante, e quero saber também tudo e mais um pouco de vocês!

Beijo grande!

Se curtiu compartilhe!
Facebook Twitter Email